Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O aumento do salário mínimo pode levar a uma redução de 30 000 empregos

Estudos recentes para Portugal chegam a esta conclusão. O aumento do salário mínimo pode levar a uma redução de 20 000 a 30 000 empregos. Claro que continua baixo. A questão está em saber se é adequado à realidade de um país ou não. E há medidas objectivas que nos respondem a essa questão. Infelizmente, como argumentei antes, tudo leva a crer que o salário mínimo é demasiado elevado.

Estimativas recentes para Portugal, feitas por especialistas em Economia do Trabalho, são o melhor guia que temos. E essas estimativas dizem-nos que o aumento do salário mínimo deverá levar a uma redução de 20 a 30 mil empregos.

Ora, se em Portugal o salário mínimo é demasiado elevado para a nossa realidade económica, o que devemos fazer é apostar a sério num crédito fiscal que funcione como um complemento salarial.

E de onde viria o dinheiro para pagar esse complemento? Do Orçamento do Estado, naturalmente. Ou seja, dos nossos impostos. Esta medida redistributiva que é usada nos US, por exemplo, é bem mais justa porque coloca todos a suportar a medida e não só alguns.

Por cá a redistribuição da riqueza é feita à custa das empresas sem levar em linha de conta a produtividade . Fecham-se empresas e criam-se menos postos de trabalho. Parece que não mas há especialistas nesta matéria a começar pelo actual ministro das Finanças Mário Centeno que publicou vasta obra sobre o assunto.

 

 

 

O Chavismo acabou numa ditadura

Perdidas as eleições por números esmagadores e humilhantes apesar de todas as ameaças, o ainda presidente  muda as regras. E lá como cá também há cerco ao Parlamento numa intimidação para que os deputados eleitos não tomem posse. E a violência é muita.

Entretanto Maduro retira poderes sobre o banco central à Assembleia Nacional e transfere-os para a presidência . O centro de Caracas acordou tomado pelos militares, que criaram cinco anéis de segurança em torno do edifício da Assembleia Nacional, que pela primeira vez em muito tempo não exibia uma fotografia gigante de Hugo Chávez.

Não há um único caso em que o que começou por ser "o caminho para o socialismo" não tenha acabado numa ditadura e de miséria para o povo. Esse caminho virtuoso, segundo alguns, também foi tentado por cá e continua escrito na Constituição. E também já tivemos cerco à Assembleia da República. Valeu-nos a situação geográfica e a proximidade de democracias maduras que ajudaram Portugal a furtar-se à ditadura.

 

Orçamento 2016 contra todas as previsões

Estão a ver como é simples ? Inscreve-se no orçamento para 2016 um crescimento da economia de 2,1% e fica tudo equilibrado. É fácil e dá milhões. O problema é que não há uma só instituição nacional ou internacional que se atreva a prever alguma coisa acima de 1,7%. A diferença dá para cobrir o aumento da despesa pública.

E até dá para obter um défice de 2,7% mantendo assim o país fora dos défices excessivos. Tudo com o aumento do consumo. 

Mas no fim pode sempre dizer-se que "prever antes é difícil" e ninguém leva a mal . Até dá o mote para o PCP abandonar o barco. Se a coisa correr bem ( há milagres ) quem abandona o barco exigindo eleições antecipadas é o próprio António Costa. Já se viu que o preço é demasiado elevado para tão periclitante apoio.

Oxalá tudo isto não seja mais uma aventura que o país pagará com os olhos da cara...