Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Conceitos fundamentais que andam esquecidos

A Magna Carta  não integra a história da liberdade moderna porque esta em nada se aproxima da ideia de conservação dos privilégios tradicionais. Pelo contrário, implicou o repúdio da ordem antiga e da pretensão de naturalidade que lhe assistia, seguida da construção de uma ordem nova radicada no princípio da igualdade social. Uma ordem em que todos se reconhecem mutuamente o mais elevado status a que se pode aspirar numa república livre, o de cidadão. Cidadãos dignos, homens e mulheres comuns aos quais são devidos a consideração e o respeito em tempos reservada aos nobres. E cidadãos iguais nessa dignidade, sem embargo das múltiplas contingências sociais ou naturais – como a ascendência, a religião, o género, a riqueza, a raça, o talento ou a profissão – que os distinguem.

A poupança e o consumo das famílias sobem porque o rendimento está a crescer

Cresce a poupança e o consumo das famílias porque o rendimento familiar disponível está a crescer.

O consumo e a poupança das famílias podem subir ao mesmo tempo se o rendimento das famílias estiver a subir”, explicou ao SOL Inês Domingos, docente de Economia da Universidade Católica. De facto, o rendimento disponível das famílias diminuiu entre o final de 2010 e meados de 2013, mas tem vindo a subir desde então – favorecendo quer o consumo quer a poupança.

A confiança voltou ao arrepio de certas mentes que continuam a desejar que a dívida não seja paga. As mesmas mentes que nos querem fora da União Europeia e do Euro. É, claro que, mais uma vez, é o povo que está enganado.

A ameaça de Mário Soares a Cavaco Silva

Sócrates não quer ser remetido ao silêncio, isso seria deixar de estar no centro da política. Aliás, Sócrates é o primeiro a dizer que o seu caso é político. E Mário Soares diz o mesmo, até quer amarrar Cavaco Silva.

Mas António Costa diz o contrário. "Deixemos a Justiça funcionar".

Qualquer uma destas hipóteses passa em primeiro lugar pelo PS. Aliás, já há algumas semanas que Sócrates centra toda a sua pressão sobre o PS. A recente ‘entrevista que não é uma entrevista’, tal como as cartas da prisão, não passam de peças desse medir de forças entre Sócrates e a liderança socialista. 

Mário Soares vai ao ponto de ameaçar o Presidente da Republica. Daqui a uns meses Cavaco pode estar na mesma situação de Sócrates. Ora para Mário Soares admitir que Cavaco poder estar na mesma situação, isto é, preso, é necessário que Mário Soares saiba alguma coisa que escapa a todos os outros . Ou então admitir que a Justiça pode prender alguém, incluindo ex- Primeiros Ministros e ex-Presidentes da República sem qualquer razão ou indicio.

Não fosse estarmos perante um ancião, cuja lucidez empalideceu há muito e teríamos fortes razões para estarmos preocupados. É que andamos todos aqui convencidos que vivemos em Democracia, com separação de poderes, e que não é por o Presidente da República estar  protegido pela função que não está preso é por não haver nenhuma das razões previstas na Lei.

Na Grécia 74% dos eleitores não querem sair do Euro

Na Grécia o Syriza já teve uma diferença a seu favor de 13% na preferência dos eleitores. Nesta última sondagem essa distância encolheu para cerca de 3%. Esta é que é a verdadeira notícia mas, para os jornais, a notícia é que subiu umas décimas. Ora a Nova Democracia subiu significativamente de 23% para 27%.

E notícia é a evolução do pensamento do líder do Syriza : O BCE não pode deixar "a Grécia de fora", disse, antes de desvalorizar "a propaganda do medo" dos adversários políticos ou "a ameaça de deixar o euro, a Grexit". A mesma sondagem da Rass, divulgada hoje, indica que 74% dos inquiridos quer que o país continue na zona euro. 

Como se vê a posição do Syriza está muito longe da imbecilidade da nossa extrema esquerda que, sem oferecer nada em troca, quer sair do euro. E em 22 de Janeiro, três dias antes das eleições, haverá a reunião que vai decidir o programa de investimentos global para toda a Zona Euro que o Syriza aguarda com esperança.

Enfim, estar perto do poder obriga a ponderação e a menos populismo. Ninguém quer entrar em aventuras.

TAP : pior é difícil

Campos e Cunha ministro das Finanças do 1º governo de Sócrates e que teve a visão de adivinhar o que aí vinha pelas mãos daquele governo, saindo a tempo e horas, vem hoje reforçar o que só não vê quem não quer. A TAP apesar de ter uma administração competente e que sabe do negócio de transporte aéreo, não descola da gravíssima situação financeira em que há muito se encontra.

Há dez anos quando as grandes companhias de transporte aéreo procederam a uma vasta reorganização do sector, a TAP, como é apanágio das empresas públicas, ficou-se num "nim". Nem sim nem sopas. O resultado está aí em todo o seu esplendor. Ninguém quer a TAP, seja ou não de bandeira.

Se continuarmos com uma companhia que opera no exterior sujeita à concorrência de empresas com dinheiro, com flexibilidade de gestão e sem sindicatos que prejudicam, convencidos que haverá sempre dinheiro para pagar os seus chorudos salários, é certo e sabido que um dia o Estado vai ter que proceder à falência da companhia e, no seu lugar, constituir uma outra com metade dos efectivos humanos e técnicos. Como, aliás, já aconteceu com várias companhias de bandeira de países bem mais ricos do que nós.

Nascimentos aumentam pela primeira vez em três anos

A confiança dos portugueses pode medir-se de muitas formas. Uma delas, e das mais significativas, é o número de nascimentos. As mulheres portuguesas,  que são mães mais tarde, olham para a situação do país com a confiança necessária para terem filhos.

A saída da Troika e a diminuição do desemprego nos últimos meses, nomeadamente do desemprego jovem, ajudaram a criar um clima de maior confiança e a alimentar a "sensação de que o pior já passou" o que pode ter contribuído para mais casais decidirem avançar.

Um país que antes da crise andou sempre pelos 100 000 nascimentos por ano está agora nos 83 511. É significativo porque é uma inversão da tendência de decréscimo registada nos últimos anos. E o mais curioso é que 2014 começou muito mal com os primeiros meses a registarem um número reduzido de nascimentos. Quer dizer que as crianças nascidas em 2014 foram concebidas já com o ano de 2013 a finar-se, justamente quando as boas notícias começaram a chegar. No Outono e no Inverno, a média mensal superou sempre em algumas centenas a registada em 2013.

Também contribuiu para estes nascimentos o facto de o governo ter colocado na agenda política a demografia - com a Comissão nomeada pelo governo a delinear um vasto programa de incentivos de apoio à família. ( medidas fiscais, conciliação trabalho/família, medidas ao nível da Educação, medidas sobre a saúde).

A oposição que se acautele, se o seu sentimento de desconfiança lhes der para não ter filhos, ainda vamos ter o país povoado de bébés de azul e laranja. Enfim, digo eu.

E de repente CDS e PSD começam a falar em maioria absoluta

Portas aproveitou a mensagem de Ano Novo para dizer que está por inteiro interessado numa coligação pré-eleitoral com o PSD. Do lado deste erguem-se, cada vez mais insistentemente, vozes a incitar Passos Coelho a tomar a mesma  decisão .

Deixa-se escapar que há sondagens que apontam para um resultado superior ao do PS se ambos os partidos concorrerem coligados. Há sinais de medidas populistas, devolvendo aos trabalhadores privados parte do que perderam, bem como a funcionários públicos e pensionistas.

A execução orçamental de 2014 é melhor do que se previa. Os juros baixos, o preço do petróleo em queda - o que relançará o crescimento da economia e o crescimento do emprego - e as medidas do BCE que se esperam a todo o momento, agitam os partidos da governação.

E é claro, António Costa começou a falar...

Queda do preço do petróleo é positiva para a economia mundial

União Europeia pode poupar até 100 mil milhões de Euros e Portugal até 6 mil milhões de Euros já em 2015. Mário Draghi do BCE e  Christine Lagarde do FMI não têm dúvidas quanto a isso, apesar de Draghi ter que lutar contra a baixa de preços

Perante este cenário, a Alemanha tem que aliviar a sua oposição à compra pelo BCE de títulos de dívida soberana por forma a combater a baixa de preços. É que a deflação espreita e a Alemanha não é excepção.

O Orçamento nacional foi montado na base dos 96,7 dólares/barril, e o preço baixou hoje para os cerca de 55 dólares/barril. As compras são feitas dois meses antes da entrega pelo que podemos dizer que até Março as nossas importações de petróleo rondarão os 60 dólares/barril o que equivale a mais 0,5% de crescimento no PIB. E a situação é para se manter face à pouca procura e ao excesso de oferta .Os USA, a maior economia , já atingiu, praticamente, a autosuficiência pelo que aliviou, enormemente, a procura a nível mundial.

Os produtores, Rússia, Angola, Venezuela têm que rever as suas contas enquanto os países da OPEP descansam nas almofadas que constituiram nos bons tempos ( para eles).

barril.jpg

 

Numa má educação a culpa é sempre do educador nunca do educando

Mudar de hábitos é sempre "uma trabalheira" daí que o melhor mesmo é não mudar nada. Na Educação, apesar dos fracos resultados em muitas frentes, o sistema não muda. O certo é que, se o sintoma se manifesta na criança e na sua aprendizagem, a causa está fora dela: está, em última instância, no tipo de escola, de ensino, de conteúdos e de aprendizagem que lhe são propostos.

Mas se a causa não está na criança, porque é que vamos actuar  sobre ela? Porque é que a escola (e tudo o que lhe está inerente: métodos e ambientes de aprendizagem, conteúdos, etc.) não é capaz de se modificar para ir ao encontro da forma e do ritmo com que a criança aprende? A resposta é dura mas vale a pena ser considerada: porque a criança é o elo mais fraco. Ela sim, tem deficit de atenção, ela sim está desadaptada, ela sim tem que se modificar para se ajustar à forma como a educação se organiza. A Educação, ela sim, está, como sempre esteve, certa.

Numa má educação a culpa é sempre do educador nunca do educando.