Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Catarina, na Venezuela há um povo que é o teu

Cara Catarina,
Eu sei que andas muito ocupada por cá a criticar o PPC e a direita, que não governam há quase 2 anos, por tudo e por nada. Eu sei que dá trabalho também andar em cima do Trump por causa dos bombardeamentos ao Daesh que tu tanto condenas, mas às vezes é preciso dar a cara também por tudo o que defendeste no regime de Chávez. Ou já te esqueceste que nos recomendaste por cá esse paraíso Venezuelano? Porque te calas agora que morrem pessoas por fazerem oposição a Maduro, por haver falta de comida, falta de medicamentos, apropriação de propriedade privada, falta de liberdade, falta de dignidade humana, ausência de democracia.

As televisões vão se calar. Tu vais te calar. O Jerónimo vai apoiar. O Costa vai assobiar para o lado. O Marcelo vai estar demasiado ocupado a visitar outros países. Mas EU hoje vou gritar a minha revolta por saber dos milhões de portugueses entregues à sua sorte, completamente ignorados pela sua Pátria. Por um povo inteiro sem culpa de ter no governo um monstro criado pelas ideologias comunistas. Eu vou gritar, agitar, implodir a rede até que a vergonha tome conta daqueles que têm o poder mas não o usam se não para eles… e amigos… e clientelas.

E se a vergonha não vier que venha o voto nas urnas com uma derrota abismal transformada em grito de protesto por termos parasitas hipócritas mais que governo.

"Je Suis" Venezuela!

Foto de Cristina Miranda.

Com os juros assim não vamos lá

Estamos a pagar juros três vezes mais altos o que em conjunto com uma dívida monstruosa que cresce e com uma economia que não cresce, é o ciclo vicioso em que estamos aprisionados. É este o problema que não é combatido.

Juros da dívida soberana em Portugal, Grécia, Irlanda, Itália e Espanha cerca das 08:35:

2 anos… 5 anos… 10 anos

Portugal

14/10……0,277….1,850…..3,358

13/10……0,276….1,861…..3,354

Grécia

14/10……n disp….n disp…8,316

13/10……n disp….n disp…8,316

Irlanda

14/10…..-0,467….n disp….0,500

13/10…..-0,466….n disp….0,490

Itália

14/10…..-0,088….0,354…..1,380

13/10…..-0,084….0,350…..1,376

Espanha

14/10…..-0,219…..0,126….1,115

13/10…..-0,215…..0,129….1,114

Fonte: Bloomberg Valores de ‘bid’ (juros exigidos pelos investidores para comprarem dívida) que compara com fecho da última sessão.

O país não está melhor nem pior antes pelo contrário

Para 47% dos Portugueses o país não está melhor nem pior, está na mesma. À mesma pergunta, 24,2% dos portugueses responderam que "está melhor" e 19,7% disseram que "está pior".

Mas o que passa é que o país com um governo do PS com o apoio do PCP e do BE só pode estar melhor. Porque sim e contra argumento tão fulgurante só temos que nos conformar. E quem não pensa assim é reaccionário.

Mas a verdade é que a grande maioria, a que vota e paga impostos, mas que não tem acesso à comunicação social, pensa como os reaccionários. Isto está na mesma e bem cedo estará pior como apontam todos os indicadores. 

Este é um tempo bem conhecido por um país que, no meio da propaganda, se viu de súbito metido num resgate . Há ainda hoje gente que diz que o mal foi a reprovação do PEC lV.

Esperemos que desta vez se reprove de imediato o primeiro.

 

Portugueses preparam-se para a saída do Euro

O crédito ao consumo bate recordes. Isto só se pode entender no quadro da preparação dos portugueses para a saída do Euro. Carro novo e  outros créditos pessoais, sem finalidade específica, lar, consolidado e outras finalidades:  crédito pessoal com finalidade educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos .

Sempre é melhor sair de bolsos cheios e bem montados do que correr o risco que os nossos amigos Gregos, correm. Sem tusto, sem emprego e a bater a todas as portas apelando à generosidade dos credores. Cá c'a gente nem pó. Sair é para sair à grande. Senão vejam :

- mais de um terço do crédito é para comprar automóvel

- crédito ao consumo aumenta 31% em Abrirl

- empréstimo para casa dispara 50% em Abril

- financiamento às famílias aumenta 20% até Abril

Digam lá se isto não são sinais inequívocos que o pessoal se prepara para " dar de frosques"

O negrume das elites

Restam os Portugueses. Os outros. (...) E a maioria move-se bem ou muito bem, uma coisa não tem a ver com a outra, é de comprometimento que falo. Do comprometimento que não houve. Em vez dele, queixume e negrume. Sem sombra de remorso face a um país em guerra e à consequente mudança radical das circunstâncias. Quanto mais benesses tinham e mais altas pensões auferiam, mais queixas com os cortes sofridos. Quanto mais o tom geral dos media era de escárnio e mal dizer, menos se deu pelas elites. Quanto mais o ar do tempo era de contestação, mais se ouvia o seu silêncio. Tão audível quanto notório era o recuo do cenário de guerra.

Da inveja

Três ilustres Portugueses (Vitor Gaspar, José Luís Arnaut e Álvaro Santos Pereira,) foram nomeados para lugares de relevo na cena internacional. Como de costume, cá por casa, é um vendaval de mal dizer. Porque um está ser pago pelos favores que fez nas privatizações ( agente da Goldman ) Os outros porque foram ministros. Estas nomeações lembram a célebre frase salazarenta " dê-me os parabéns quando eu sair do governo".

Quando não tínhamos compatriota nenhum em lugar de relevo na cena internacional, era uma humilhação, não tinhamos qualquer influência nas grandes decisões, uns tristes no cantinho plantados. Pobres, feios e maus. Agora é porque temos gente conhecida não só na política mas também no mundo empresarial e da gestão.

O azedume é o mesmo. A inveja maior. A maledicência uma tristeza. Pobre gente.