Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Quem vive na Europa tem que viver como um europeu

Não se confundam as coisas : "Esta incompatibilidade cultural e civilizacional só pode combater-se através de uma rápida clarificação de regras e de uma enérgica afirmação da identidade europeia e ocidental. Se queremos salvar o nosso modo de vida, teremos obrigatoriamente de ser intransigentes na sua afirmação. Se queremos continuar a acolher o diferente, teremos de lhe explicar muito claramente as regras sob as quais se vive aqui. Não podemos continuar a confundir tolerância com relativismo, respeito cultural com submissão, acolhimento com permissividade. No Ocidente terá de se passar a viver segundo o padrão da civilização ocidental. A Europa terá de repensar rapidamente o seu regresso às raízes fundacionais da sua cultura e do seu modo de vida: a matriz judaico-cristã deverá regressar ao fundamento da nossa postura perante o mundo.

Multiculturalismo - o desprezo pelos princípios democráticos

A extrema esquerda andou a vender o multiculturalismo na europa. Sempre à espreita de "nichos" de mercado onde possa pescar descontentes, ódios e votos. Gente que beneficia do estado social europeu, da democracia e do estado de direito mas que, obedece cegamente, a religiões e a convicções estranhas aos países que os acolhem.

Por toda a Europa assassinam-se inocentes. Com uma razão comum : "olho por olho, dente por dente".

No Combustões :Agora sabe-se que a própria ideia de Europa, confundida com apaziguamento pelo consenso democrático, nada diz a populações que possuem uma hierarquia de valores que não só desprezam (como odeiam) o principio democrático, como contra ele se rebelam em nome de uma verdade inegociável e superior de natureza religiosa. A macabra decapitação londrina, os graves incidentes de ontem na Suécia, a guerra dos minaretes na Suíça, a matança congeminada por Breivik na Noruega, a quase guerra interétnica na Bélgica, na Holanda, na Áustria e em França, a instalação do caos na Grécia, tudo são manifestações claras de algo que vai abrir portas a uma nova era. É tempo, decididamente, dos governantes europeus pensarem, legislarem e agirem para evitar o pior pois, tudo o indica, estamos na iminência de algo de terrível. A Europa, pela estupidez de angelismos, abstrações e agendas para a desestabilização está a caminho de novas formas de hitlerismo.