Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Obrigadinho

O aumento extraordinário das pensões fica-se entre os 6 euros e os 10 euros. E é realmente extraordinário . Senão veja . 

Embora o crescimento tenha ganho ímpeto, a variação do PIB ao longo de 2016 foi bastante débil (média de apenas 1,2% no terceiro trimestre de 2016 face a 2015), o que penaliza estas contas, uma vez que a média é feita com base em dois anos.

Para que fosse possível atingir um valor igual ou superior a 2%, seria necessário que no ano terminado no terceiro trimestre de 2017 o PIB nacional tenha um aumento homólogo de 2,8%.

 Para que isso seja possível, é necessário que a economia continue a acelerar nos próximos dois trimestres para valores superiores a 3%. E há 17 anos que não se observam taxas de crescimento desse nível.

Com os dados que estão disponíveis, o mais provável é que este cenário de aumento real das pensões se coloque só em 2019.

Obrigadinho...

Vem aí um brutal aumento de impostos

Primeiro foi o imposto sobre o combustíveis que é pago pela classe média e as empresas. Depois o IMI, o sol e as vistas. Tudo para aumentar os funcionários públicos que são os seus votantes. Agora vem aí um brutal aumento de IRS que vai apanhar mais de 370 000 contribuintes. Novamente a classe média.

E como se faz ? Cria-se uma nova classe média. Quem ganhar 1 000 euros passa a pagar IRS. Simples, fácil e dá dinheiro. E quem vai ser aumentado ? Os funcionários públicos e os pensionistas que votam na esquerda.

Ao mesmo tempo que os impostos aumentam, a despesa operacional pública vai crescendo, tudo compensado com o corte na despesa do investimento o que equivale a dizer que estamos a hipotecar o futuro. Não cresce a economia e não há criação de postos de trabalho.

Quando a economia não cresce, vir dizer que não há aumento de impostos, ao mesmo tempo que se aumentam salários e pensões, só pode ser à custa de dívida. A tal que não cessa de crescer e que nos leva 8 mil milhões, tanto como o SNS. A tal que os que não sabem viver sem ela querem "negociar".

Para terem mais margem e mais tempo para gastar. Os credores é que não compreendem esta visão libertadora e revolucionária. O nosso empobrecimento é a solução encontrada pela extrema esquerda.

Fui aumentado 1,80 euros/mês

Vou recomeçar as minhas viagens. Nos últimos cinco anos nasceram-me duas netas tive que ajudar . Mas agora vai ser um fartote. Fui aumentado, a austeridade acabou, o desemprego que também atingiu a minha família ficou (ficará) para trás . Aí estão as amanhãs que cantam.

E vamos ter mais aumentos e devoluções do que foi " roubado". Quem paga não sei mas a tal economia que PS/PCP/BE diziam anémica sofreu nas duas últimas semanas um fulgor inusitado. Qual 1,7% de crescimento qual carapuça. Tudo o que seja menos de 3/4% não é nada. E se for preciso pomos a economia a crescer 5/6%, basta aumentar o consumo. Da última vez o país foi para a bancarrota com esta politica mas, caramba, não podemos estar a pensar que o diabo continua aí à esquina.

E é assim. Voltam os emigrantes ( já vieram a público 100 empresários dizer que o investimento está a todo o vapor) porque agora é só escolher o melhor emprego entre várias oportunidades e todos bem pagos . Até os refugiados que aí estão a chegar vão ajudar à recuperação.

Parece que não mas Deus é do PS.