Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Os ataques à PT depois da compra da Media Capital

António Costa ataca a PT a qualquer pretexto. Ou é por a empresa estar em processo de emagrecimento, com um processo de despedimento de 3 000 trabalhadores - que estão a mais em comparação com as suas concorrentes - ou porque o SIRESP falhou.

A culpa já foi atribuída . Estado 0 - Privado 1 . 

O primeiro ministro já se deu à redundância de dizer que o melhor mesmo é mudar de operadora. Tanto no SIRESP como nos telemóveis dos cidadãos, isto num mercado concorrencial. O que levará o primeiro ministro a fazer um ataque público a uma empresa que opera num mercado concorrencial ?

Será que tem a ver com a compra por parte da ALTICE da Media Capital, empresa de comunicação social que assim escapa ao controlo do governo ?

A táctica é a mesma da Coreia do Norte. Tenham juízo olhem que eu...

 

António Costa julga que somos todos burros

Enquanto o país arde e o SIRESP não funciona o primeiro ministro brinca com a tragédia. É que quem anda agora a vender a imagem de um político de horizontes largos foi ministro da Administração Interna, e que por isso mesmo foi a pessoa ( ou umas das poucas pessoas) que poderia ter evitado os actuais incêndios ( ou pelo menos os incêndios-tragédia).

Num desespero cego não consegue furtar-se a esta figura ridícula de dar lições sobre antecipação dos desastres. Logo ele que atirou milhões de euros para cima do problema com os resultados que agora estão à vista.

António Costa julga que somos todos ingénuos como António José Seguro.

inverno.jpg

 

 

O ricochete da lei da rolha

António Costa não quer perceber que há um antes e um depois de Pedrógão Grande. Grande parte da confiança perdeu-se como se vê neste caso da listagem do número de mortes.

Habituado a atirar a culpa para cima dos outros - do anterior governo, dos bombeiros, da Altice, de Bruxelas ...- foi longe demais e centralizou a informação para melhor a controlar. Resultado ? Ninguém acredita em ninguém. Um tremendo tiro no pé.

Enfim, a culpa é de toda a gente menos de quem nos governa. Aliás, para Costa, as polémicas fazem pouco sentido. São mesmo desnecessárias. E percebe-se porquê, para ele estão sempre “encerradas” e “esclarecidas”. O problema são as que não estão nem encerradas, nem esclarecidas.

Pedrógão não se apaga ficará para sempre agarrado à pele deste governo, e não vale a pena Costa empurrar o problema com a barriga como faz sempre .

É que como se vê a lei da rolha faz ricochete.

O que Henrique Neto diz de António Costa

Henrique Neto, empresário de sucesso, ex-deputado do PS e ex-candidato à Presidência da República.

Henrique Neto, empresário de 81 anos, aderiu ao PS em 1993, convidado pelo então secretário-geral Jorge Sampaio. Antes, tinha sido militante do PCP, entre 1968 e 1975, tinha participado na campanha de Humberto Delgado em 1958 e foi, em 1969, candidato às eleições legislativas da Oposição Democrática pelo distrito de Leiria . Um homem e um político de esquerda sem sombra de pecado.

Para Henrique Neto, a "recusa em esclarecer os portugueses" tem sido uma "forte característica" do actual Governo, com implicações em casos como o Banif, Montepio, Novo Banco ou Caixa Geral de Depósitos.

"A responsabilidade pela morte de 64 pessoas inocentes, famílias inteiras, não pode continuar a ser uma questão alienada pela propaganda política. Pessoalmente, tenho de afirmar o que me parece óbvio: António Costa tem a maior carga de responsabilidade pelo que fez e pelo que não fez".

Costa está a engordar um monstro na PT/Altice

Sejamos claros. Eu também não gosto dos novos donos da PT nem da forma como operam. Quem tem uma dívida de 50 mil milhões de euros e continua a comprar um dia destes dá com os burrinhos na água e alguém vai pagar.

Mas isso é o meu sentimento outra coisa é o racional que orienta os negócios  do grupo. Há quem lhes empresta o dinheiro e negoceiam dentro da lei e, a ser assim, não há como o governo interferir.

Quando lhes venderam a PT já todos sabíamos que a PT está cheia de boys e girls que custam uma fortuna. Num mercado concorrencial a PT tem mais do dobro de empregados dos seus concorrentes. Ora se os preços são semelhantes a PT ou ganha quota de mercado ou corta no número de trabalhadores. Como ganhar quota de mercado ( significativamente) é bem difícil não há como fugir à austeridade. Trabalhadores e fornecedores são as vítimas.

O primeiro ministro com as suas declarações tirou muitos clientes à PT/Altice o que tem como consequência o corte de mais trabalhadores e condições aos fornecedores.

António Costa está a engordar um monstro que há muito anda escondido por trás da sigla PT e dos seus antigos accionistas e administradores que faliram a empresa de braço dado com o estado principalmente nos governos Sócrates.

A culpa é da PT não é da Altice.

PS : O grupo francês Altice, que comprou há dois anos a PT Portugal por cerca de sete mil milhões de euros, anunciou em 14 de julho que chegou a acordo com a Prisa para a compra, por 440 milhões de euros, da Media Capital SGPS, SA, que detém a TVI.

 

A derrota dos anti UE e anti Zona Euro

"O nosso norte deve ser uma Europa mais unida e mais forte" , afirmou António Costa deixando subentendido que Lisboa apenas contempla como hipóteses futuras o terceiro (maior integração para quem quiser) e quinto (muito maior integração para todos) cenários. As palavras foram proferidas por Costa no encerramento da conferência "O Futuro da Europa em Debate", que decorreu esta sexta-feira, 14 de Julho, em Lisboa, e que foi promovida pela Comissão Europeia com o objectivo de iniciar uma discussão sobre os cinco cenários presentes no Livro Branco que a instituição liderada por Jean-Claude Juncker lançou para discussão pública.

Depois da ameaça colocada ao futuro da integração europeia pelo Brexit e pelo calendário eleitoral de 2017, o líder do PS considera que a recente celebração do 60.º aniversário do Tratado de Roma "foi um ponto de viragem".

A vitória é de quem sempre foi pró UE e pró Zona Euro e, ao invés, a derrota é de quem sempre foi e continua a ser anti UE e anti Zona Euro.

Não ponham a narrativa ao contrário. A UE e a ZE estão bem e recomendam-se têm soluções e caminham para mais integração e não para menos.

 

As férias do primeiro ministro são mesmo um enigma ?

Serão mesmo um enigma as férias do primeiro ministro ? É claro que António Costa por esta altura não terá um momento de sossego. Passa o dia agarrado ao telemóvel. Anda tão agitado que o PS a primeira coisa que fez foi pagar uma sondagem para perceber como estavam os fogos e o roubo de Tancos a minar a popularidade do seu secretário geral.

Se não descansa porque está Costa longe dos centros de poder ? A explicação é deixar que os seus ministros sejam minados com perguntas a que não sabem responder e a responsabilizarem-se por decisões que foram tomadas por Costa ou com a sua autorização.

É um faz de conta velho como a política. Desaparecer nos momentos difíceis e aparecer quando há boas notícias. Na espuma das notícias fica a cara de alguém que nada tem a ver com o que corre mal nos serviços do estado.

Ainda não tinha ido de férias e Costa já não suportava que se conhecesse o seu envolvimento na compra e na negociação da gestão da PPP do SIRESP . O PCP e o BE começaram a fazer perguntas sobre as cativações. Mil milhões ? Onde foram feitas ? Queres ver que foram na Administração Interna e nas Forças Armadas ? Se Centeno não responde como poderá Costa responder ? As finanças não estão entregues ao "Ronaldo das finanças" ? Não mexe no que está bem.

Entretanto o primeiro ministro vai deixando passar a tempestade, monta uma medida açucarada e um dia destes aparece aí como o verdadeiro salvador.

A verdade de Costa e a mentira dos bombeiros

Os bombeiros e o restante pessoal que estiveram no terreno com risco da própria vida estão a mentir acerca do SIRESP . A verdade está inteirinha com o primeiro ministro, arguto comprador do sistema de comunicações e principal decisor sobre a PPP que entregou a gestão à privada.

Espero que o BE tire as necessárias ilações depois do chumbo às mãos do PS da sua proposta para nacionalizar a gestão do SIRESP. E a verdade é clarinha. Segundo Costa o sistema teve umas falhasitas nada de importante e sem nenhuma relevância para a consumação da tragédia.

O argumento usado por António Costa é extraordinário tendo em vista que o SIRESP não teve nenhuma relevância :

"Nas respostas, Costa explica também que segundo a GNR "até ao momento em que se verificaram as mortes, não foi comunicada àquela força de segurança qualquer decisão operacional relativa à necessidade de encerramento da N236-1, não tendo sido recebida qualquer informação que alertasse para uma situação de risco, potencial ou efectivo, em circular pela via em causa".

Isto é, apesar de não haver problema nenhum relevante com as comunicações morreram pessoas porque não havia informação nenhuma sobre o potencial perigo na N 236-1.

Isto sim é o que se chama repor a confiança nas populações.

Costa tem dificuldade em destruir o que criou

Costa precisa de ganhar tempo e para isso empurra com a barriga o inquérito para lá das autárquicas. A ideia é evitar ter que assumir que foi a sua criação nos anos em que foi ministro da Administração Interna a principal responsável pelo sucedido .

Mas com o verão que está ainda no inicio a ansiedade é muita e com cada fogo que lavre a confiança das populações terá um abalo . Até lá o primeiro ministro vai manter a ministra para não haver um vazio do poder e não deixar Costa na primeira linha do combate político.

Costa evitou situações que o expusesssem a eventuais vaias - apenas foi ao enterro de uma das 64 vítimas do fogo e não apareceu ao lado de Marcelo no concerto da MEO Arena.

No PS há a percepção nítida que a confiança das pessoas ficou abalada e o recente rouba de armas em Tancos não está a ajudar nada à recuperação da confiança.

O governo não pode arriscar nova tragédia, a intenção é baixar o tom e o assunto ser engolido por outras narrativas.

 

Os grandes negócios do estado - os suspeitos do costume

Estão lá todos incluindo o melhor amigo de António Costa. Trata-se da PPP do SIRESP . Uma bela história cheia de sombras . E o final não é feliz como tantas outras.

"António Costa acabou por confirmar a adjudicação do SIRESP ao consórcio da Motorola por 485,5 milhões de euros (aproximadamente o valor de um dos submarinos comprados pela Marinha) depois de uma renegociação em que cortou 53 milhões de euros ao preço da adjudicação inicial realizada pelo Governo anterior do PSD/CDS. No entanto, fê-lo reduzindo valências sem obrigar o consórcio a reduzir o preço: o custo previsto seria de 538,2 milhões de euros."

"A operadora da Sonae garantia ter soluções para manter as comunicações operacionais mesmo quando o sistema fosse abaixo. Antes de se passar ao modo de DMO — como aparentemente aconteceu durante o incêndio quando as comunicações falharam — a Optimus apresentava duas alternativas para manter o sistema a funcionar."

"O então ministro da Administração Interna, António Costa, escudou-se numa série de pareceres antes de se decidir por uma nova adjudicação do SIRESP ao mesmo consórcio. Para além da Motorola, esse consórcio reunia o que um antigo responsável da Optimus define como os “suspeitos do costume” — Portugal Telecom, SLN/BPN e BES (acionista da Esegur com a CGD). Para além do parecer do Conselho Superior do Ministério Público que disse que a adjudicação era “nula”, António Costa tinha um parecer da Inspeção-Geral das Finanças a dizer que, do ponto de vista da Parceria Público-Privada (PPP) em causa, “a presente parceria não apresentava vantagens para o Estado”. Portanto, era preciso renegociar as “incertezas económico-financeiras apuradas” para o processo de adjudicação poder prosseguir."

E o SIRESP falhou e falha e ninguém é responsável .