Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Reduzir rapidamente a dívida pública isso é que é difícil

Aproveitar o bom ambiente de crescimento económico, a redução dos juros e o controle da despesa pública para mais rapidamente reduzir a dívida pública. Isso sim, é que é estratégico e estrutural para a consolidação das contas públicas e para a sustentabilidade do crescimento económico a prazo.

Não era preciso mas é o que dizem as instituições europeias e o FMI . E, afinal, é o que não fazemos por mais que nos vendam vitórias e recordes sucessivos.

Bruxelas refere ainda que, nesta área, seria importante continuar o exercício de revisão da despesa pública, introduzindo objectivos de poupança mais ambiciosos. Além disso, seria bem-vindo um controlo mais apertado da despesa na saúde, nas pensões e no sector empresarial do Estado.

Para quem não quer perceber sempre vale a pena chamar a atenção que são medidas em sentido contrário às exigências do PCP e do BE declarados inimigos da União Europeia.

O FMI deixa também um aviso que tem sido repetido por alguns à direita: é necessário ter cuidado com aumentos de despesa difíceis de suportar no futuro. Neste capítulo, é feita uma referência especial aos gastos com salários do Estado, naquilo que parece um recado às negociações do Governo com os professores.

"O Governo deve ser cuidadoso em relação a aumentos permanentes de gastos que reduzam a flexibilidade da despesa pública quando as condições cíclicas mudarem. Essa cautela é especialmente importante em relação a decisões que possam afectar a trajectória da folha salarial do Estado nos próximos anos", avisa o Fundo.