Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

Portugal só sairá do lixo quando a dívida descer

As boas notícias são circunstanciais. Sem reformas estruturais a dívida não sairá do lixo.

E o tempo está a jogar contra o governo, nota-se pela agitação nos médicos, nos juízes, nos magistrados, na Autoeuropa e nos professores (o inefável e alucinado sindicalista Nogueira não consegue contê-los).

A bondosa DBRS vai mantendo o país com a cabeça fora de água mas as outras agências vão jogando o jogo de dois passos atrás e um para a frente. Só daqui a um ano é que sairemos do lixo quando o governo nos invade todos os dias com vitórias ? Algo não bate certo .

Entretanto a compra de dívida por parte do BCE vai terminar no fim do ano, os alemães já a discutem judicialmente . Se em tempos favoráveis não se fazem reformas estruturais, não se prepara o futuro, quando vierem tempos de vacas magras voltaremos ao mesmo de sempre.

Mas PCP e BE estão contra as reformas que mexem nos seus eleitorados, dificultando a governação,  Adivinham-se tempos difíceis até às legislativas de 2018 .

"Claro que há condições para, ao fim de seis anos, essa mudança acontecer e o país voltar a estar cotado pelas agências como um dos que têm qualidade e oferecem segurança a quem quer investir - um passo que pode determinar o continuamente adiado regresso do investimento a Portugal. E aí é que é o diabo. Com a dívida pública a engordar continuamente, não há agência (à exceção da sempre benevolente canadiana DBRS) que não desconfie da capacidade de manter os restantes números em boa evolução. Há cinco semestres consecutivos que a dívida está acima dos 130% e em julho voltou a agravar-se, atingindo os 249,165 mil milhões de euros. Isto numa altura em que o governo começa a negociar bombons orçamentais para os partidos que lhe asseguram a maioria parlamentar, com PCP e Bloco a exigir que o executivo de António Costa vá muito mais longe no alívio fiscal, nos aumentos das pensões, no descongelamento de carreiras da função pública..."

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.