Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

O "TGV" já desapareceu dos títulos noticiosos

Entretanto, em todos os canais televisos desapareceu o "TGV" e passou a ser " linha para mercadorias com ínicio em Sines"

No Blasfémias a Helena Matos descasca bem a confusão. E aqui na TVI diz-se claramente que há um novo projecto para mercadorias. E, aqui,o Ministério da Economia reafirma que o comboio é para mercadorias. O DN diz no título que é TGV a partir de 2015 e no corpo da notícia :

O primeiro-ministro referia-se à ligação ferroviária em bitola europeia às redes transeuropeias de transporte de mercadorias que ficou acordada na XXV Cimeira Luso-Espanhola, que se realizou a 9 de maio, no Porto. Nesse evento, Portugal e Espanha comprometeram-se a concluir até 2018 a ligação ferroviária de mercadorias em bitola europeia entre Lisboa e Irún (fronteira franco-espanhola), com passagem por Sines, Caia e Madrid.

A comunicação social está alinhada partidariamente, no mesmo artigo dizem uma coisa e o seu contrário. Mas o mais significativo é que "TGV" só aparece nos títulos das notícias, sabendo, como sabem que a maioria não lê o corpo do texto. Ainda agora no muito nosso "serviço público da RTP" a notícia arrancava com " Projecto de Alta velocidade" e a seguir como nada fosse com eles, desataram a falar em comboio de mercadorias.

Ou estarão mesmo convencidos que iremos exportar "nabos" a 300 Kms à hora? Entretanto a UE exige que a velocidade do novo comboio de mercadorias seja no mínimo de 200 kms/hora.

 

 


Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.