Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BandaLarga

as autoestradas da informação

BandaLarga

as autoestradas da informação

A Secretária de Estado da Educação fugiu a grande velocidade

Por onde anda Mário Nogueira ? Noticiam-se problemas no arranque do ano escolar mas o  alucinado sindicalista está algures preso e sem acesso a comunicações. Só pode ser isso ou então o papel  que o sindicalista reservou para si mesmo - avaliar o ministro da Educação - amordaçou-o. Urge libertá-lo.

A Secretária de Estado que se entretém a fechar escolas, teve que fugir a grande velocidade perante uma pacífica manifestação de pais que exigiam falar com ela sobre o encerramento de uma escola...pública em Mondim de Basto.

A Secretária de Estado não consegue explicar aos pais como é que manda fechar escolas que os pais escolheram para os seus filhos enquanto as suas filhas (dela, secretária de estado) frequentam o finérrimo Colégio Alemão. Razão ? Reserva para as filhas uma carreira internacional e como tal a escola pública não é competente.

E agora passou à ameaça : A propósito da situação atual dos alunos, Alexandra Leitão avisou esta terça-feira que “As crianças estão no edifício que já não é escola e, neste momento, estão a faltar às aulas. Quarta-feira fará dez dias úteis de ausência às aulas. Quando uma criança falta dez dias seguidos às aulas há mecanismos legais“.

 

O orçamento de 2017 não pode ser igual ao de 2016 avisa Marcelo

É preciso fazer crescer a economia com as exportações e o investimento e assim, Marcelo junta-se a todos os que avisam que esta política está a arruinar o futuro. O crescimento da procura interna não chega .

“É importante atrair o investimento e não retrair investimento”. O Presidente diz isto num momento em que o que já se conhece da proposta de Orçamento do Estado que o Governo está a ultimar, aponta para um novo imposto sobre património imobiliário de elevado valor.

Marcelo começou por dizer que vivemos um “tempo em que exportações e investimento são vetores essenciais e até exclusivos de um modelo de governação na Europa e no Mundo. Digo isto porque governos muito diferentes não tiveram nem têm outro caminho, outro modelo mais viável para o crescimento e o emprego por todos ambicionados”.

Bem pode o governo tentar esconder o falhanço . É que aumentar os pobres em 5 euros/mês ou mesmo 10 euros/ mês não tira ninguém da miséria. Só a criação de riqueza e de postos de trabalho o pode fazer.

Quem viaja em low cost não espera aterrar no centro da cidade

Para quem viaja em low cost aterrar a uma hora de distância do centro da cidade faz parte do preço barato. É por isso que a expansão do aeroporto de Lisboa teria que ser feita com a utilização de um dos aeroportos existentes na zona de Lisboa . E o mais acessível e com melhor condições - está operacional para os militares - é o do Montijo. 

Há um canal que atravessa o rio Tejo que agora está assoreado  e que com obras de pouca monta e em breve espaço de tempo ficará operacional e largará os viajantes no Terreiro do Paço. Onde há transportes públicos, incluindo o Metro que acede rapidamente a toda a cidade 

Os novos proprietários da TAP também é assim que pensam, querem o Portela + Montijo e depressa.

Agora compare-se com o custo de um novo aeroporto e duma nova ponte sobre o Tejo.

portelamontijo.jpg

 

Maria Luís Albuquerque cheira bem, cheira a Lisboa

Santana Lopes exerce uma função de grande notoriedade e com muito poder. Os braços da Santa Casa chegam longe a nível nacional e com um mandato para mais cinco anos é difícil a Santana Lopes trocar o certo pelo incerto. É natural que o PSD espere por ele algum tempo - são as sondagens que definem estas coisas - mas não pode esperar muito mais tempo.

Começa a ganhar forma a candidatura de Maria Luís Albuquerque. É conhecida pela população, tem curriculum, tem capacidade de oratória, é economista, é deputada, foi ministra das finanças. E last but not de least é mulher. A primeira mulher como Presidente da Câmara de Lisboa soa bem, soa a Lisboa.

Ora se o PSD continua de braços cruzados e sentado à espera, queima Santana Lopes e queima Maria Luís. E mal se compreende porque o actual presidente da Câmara está longe de ser um candidato imbatível. Chegou à Câmara à boleia de António Costa, não tem notoriedade e nasceu e viveu no Porto. Maria Luís é de Braga, viveu em Moçambique com os pais e estudou e trabalha em Lisboa.

Medina anda a lançar obras por toda a cidade num afã que não prenuncia nada de bom. São as sondagens ? É que os lisboetas não estão a achar graça nenhuma ao estaleiro em que está transformada a cidade.

A execução orçamental que compromete o futuro

Só há uma maneira sustentável de sair desta situação . Fazer crescer a economia. Ora o governo não só não é capaz de fazer crescer a economia como está a comprometer o seu crescimento futuro.

“Mesmo com mais 645 milhões de euros cobrados a mais aos portugueses no imposto sobre produtos petrolíferos (gasolina e gasóleo), a verdade é que a receita fiscal está abaixo daquela que o Governo prometeu arrecadar. É um sinal de que a economia não está a crescer”, lamentou Mota Soares.

O deputado centrista declarou que “quando devíamos estar preocupados com as pequenas e médias empresas, percebemos que o Estado aumentou em 300 milhões de euros as dívidas da administração central” e, quando devíamos estar preocupados com a falta de investimento, percebemos que o investimento público está 300 milhões de euros abaixo do ano passado e 600 milhões de euros abaixo do estimado para este ano no Orçamento do Estado”.

“Quando temos um Governo que ainda está a pedir tantos sacrifícios aos portugueses preocupa-nos o facto de estarmos a pagar mais 350 milhões de euros de juros da nossa dívida o que é um sinal de que há falta de confiança externa nesta solução governativa”, vincou.

Um desastre .

Um partido profundamente conservador e reaccionário

O PCP está contra a regulação do serviço fornecido pelas plataformas de transporte de passageiros, porque segundo o PCP vem causar prejuízos ao monopólio dos táxis. A razão principal é que estas plataformas são propriedade de multinacionais enquanto os táxis são propriedade de nacionais.

Para os comunistas, que tentam parar o progresso e a inovação, a qualidade do serviço prestado aos clientes não é para aqui chamada bem como a liberdade de escolha. Os direitos dos utentes - os cidadãos -não contam. Como nunca contam quando o mesmo PCP impede a liberdade de escolha nas escolas, nos hospitais e em todos os outros serviços que podem ser fornecidos com mais qualidade em transparente concorrência.

Os táxis preparam uma manifestação para 10 de Outubro que o PCP já está a cavalgar em seu proveito. Vamos lá estar atentos quanto é que as organizações proprietárias dos táxis vão sacar ao estado para se calarem depois de já terem recebido 6 milhões.

E o custo que baixa com a concorrência também não conta o que conta é o monopólio nuns casos do estado noutros casos de organizações de interesses. Os clientes, para o PCP, estão arredados desta discussão.  

“Entendemos esta decisão do governo como uma cedência às imposições e interesses das multinacionais, que confronta claramente o país e coloca em risco milhares de empregos num setor que, tendo muito para melhorar, é predominantemente de base nacional”, argumentou.

É clarinho que se criarão muitos postos de trabalho e que os cidadãos serão melhor servidos.

A subida da taxa de juros veio para ficar

Inexoravelmente a taxa de juros a 10 anos sobe e já vai nos 3.52%, uma carga brutal de encargos sobre uma dívida descomunal que também não para de crescer. Ora se a taxa de crescimento da economia não chega a 1% pagamos como ?

Nos restantes periféricos a tendência também é de alta ligeira nos juros, com a "yield" da dívida a 10 anos de Espanha a subir 1 ponto base para 0,97%.

Portugal há um ano chegou a beneficiar de taxas de juro a 10 anos ligeiramente acima dos 1%. A partir daí num sobe e desce diário a verdade é que a tendência é de crescimento contínuo e já multiplicou por três. E a incerteza que rodeia a manutenção da política monetária dos bancos centrais aponta para que a subida acelere.

O país tem um encargo com o serviço da dívida que é um garrote a que o governo não atende e, bem pelo contrário, lança continuamente sinais de instabilidade fiscal e política que os mercados castigam . Não é boa ideia ter um governo apoiado por partidos anti-europa e anti-capitalistas.

O comportamento das taxas de juro, em crescimento continuo, não engana. O governo de Sócrates teve que pedir ajuda externa quando os juros chegaram aos 7% ( bem gritava Frei Teixeira dos Santos)

Há quem no CDS queira salvar o PS de extremismos

Arrancar o PS das mãos da extrema esquerda é um serviço a prestar ao país escreveu um  democrata cristão em carta aberta dirigida a Assumpção Cristas.

Segundo a carta : Borges de Lemos, advogado, entende que o CDS "tem de perceber que os principais inimigos da nação são as esquerdas radicais que viabilizaram o atual governo" e por isso "o seu combate é, sobretudo, com o BE, cada vez mais posicionado, com o PCP e com o seu braço armado, a CGTP". Dito isto, este novo membro da comissão política da maior estrutura local do partido entende que o CDS deve ter "a coragem de não fechar a porta a conversações com o PS.

Pedro Borges de Lemos diz que "o próprio PS já devia ter percebido que pôs dentro de portas os "inimigos íntimos" apostados em pilhar o seu eleitorado e em traí-lo quando lhes for mais conveniente". E apresenta as vantagens de "propor ao PS um quadro que garanta estabilidade": "Liberta a nação de uma solução contranatura na qual grande parte do país não se revê; permite à nação ter estabilidade, criar confiança nos investidores e respirar com uma solução fiável e credível; abre caminho ao PS para, sem derrota, mudar a agulha para uma solução de grande coligação ao centro e não perder definitivamente a confiança do seu eleitorado".

A maioria diz que tudo isso é problema do PS e que deve ser o PS a resolver. 

Estão todos no coração dos socialistas

Não conseguiram afastar-me do coração dos socialistas diz José Sócrates. É como o corno que diz que a mulher antes de o enganar tirou a aliança e isso mostra que ela continua a amá-lo. Os socialistas vão amando-o ou detestando-o conforme as necessidades e não fazem promessas. Leiam o que dizia João Galamba :

Em 2009, o socialista João Galamba ainda se demarcava claramente das ideias, propostas e métodos da extrema-esquerda: “É uma fantasia achar que se resolve o problema da pobreza e das desigualdades criando um escalão de 45% de IRS e um imposto sobre as grandes fortunas. Os nossos problemas também não se resolvem nacionalizando a banca, os seguros e o sector energético — e muitos menos se resolvem introduzindo mecanismos de controlo administrativo e burocrático dos juros. Em tudo o que cheire a economia a solução do BE é sempre a mesma: estatismo e penalização da iniciativa privada.”

No PS o que interessa é estar no poder, a ideologia já deu frutos . O PS defensor da União Europeia, democrático e defensor de uma economia social de mercado continua nos nossos corações. Estar no coração dos socialistas ( de alguns) é outra coisa bem diferente.

 

Viver à custa de um amigo torna impensável a sua recuperação política

Ana Gomes  considera que Sócrates "está a sequestrar e a manipular o partido", que é "chocante", sem que haja "vozes morais no PS". Embora se mostre crítica da justiça pela demora no processo que envolve o ex-primeiro-ministro, a eurodeputada entende que o que já se sabe do comportamento de Sócrates - admitido pelo próprio, em particular o modo como "vivia à custa do amigo" Carlos Santos Silva - torna "impensável a sua recuperação política".

A eurodeputada insiste: "Como é possível não haver consciência moral para demarcar o PS disto?" E a sua crítica estende-se a todos os dirigentes socialistas, incluindo ao secretário-geral do partido, atual primeiro-ministro.

O PS de Costa é a continuação do PS de Sócrates, um partido de poder disposto a tudo para se manter no poder.