as autoestradas da informação

28
Mar 15

Não descola eleitoralmente e, à sua esquerda, tem um conjunto de pequenos partidos muito pouco estáveis. E, já disse que não faz coligação com o PSD. Com o PCP nem pensar . O PS está entrar num beco sem saída.

Num cenário eleitoral em que os eleitores terão que escolher entre uma coligação de dois partidos que garante estabilidade e a continuação de políticas que estão a dar resultados e, um conjunto de partidos que não oferece nenhuma estabilidade, a opção não é difícil. Principalmente numa situação como a que ainda estamos a atravessar.

Ora o PS tem que alargar a sua influência à sua esquerda e não pode ao mesmo tempo apresentar-se a eleições propondo entendimentos com os partidos aí existentes. É uma posição débil, pouco clara para apresentar uma solução governativa estável.

O PS neste momento luta por uma vitória tangencial

 

publicado por Luis Moreira às 23:32

A ANA - gestão de aeroportos - depois de privatizada aumentou o cash flow em 50%. Muita gente andava preocupadíssima por que a companhia já aumentou as taxas portuárias cinco vezes desde que foi privatizada. Fugiam os clientes, auguravam, como se uma empresa com concorrência internacional não fizesse contas.  

Na base deste crescimento dos resultados esteve o aumento do tráfego nos aeroportos portugueses, bem como a subida das tarifas cobradas. O duplo efeito (em quantidade e em preço) terá sido determinante para que, de um ano para o outro, o cash-flow operacional passasse de €200 milhões para €300 milhões.

Como não há subsídios públicos a ANA faz tudo para ser feliz no seu novo estado. O divórcio não é solução.



publicado por Luis Moreira às 19:36

A forma como os Estados Unidos desceram artificialmente o preço do petróleo no mercado internacional e aplicaram assim um rude golpe à economia da Rússia, muito dependente do petróleo, demonstra a força e influência dos EUA no mundo. Se é certo que esta medida não teve um impacto decisivo na guerra civil da Ucrânia, pelo menos pôs Putin em sentido e obrigou-o a refletir sobre as possíveis consequências de futuros atos da Rússia, nesse contexto. Mais do que uma resposta militar, o aperto económico tem um impacto muito mais significativo no descontentamento geral da população.

Este acontecimento fez-me refletir nos acontecimentos no início da crise da União Europeia e em particular no nosso país. As agências financeiras (americanas) desciam mês após mês os ratings dos países mais endividados e com maiores problemas económicos, que segundo muitos especialistas europeus, não justificava essa aparente e constante histeria. As próprias agências de rating foram postas em causa e falou-se na criação de agências europeias. E os juros dos empréstimos a esses países subiram para níveis incomportáveis.

Passados estes anos, se é certo que o nosso país demonstrou saber "apertar o cinto" numa situação de dificuldade económica, não fez as reformas estruturais necessárias, não resolveu contratos ruinosos e situações de corrupção, nem resolveu os desequilíbrios económicos do país, tendo desperdiçado esta oportunidade. Continuamos com uma dívida enorme, agora ainda maior, e o crescimento económico não é muito diferente do da altura. No entanto, as taxas de juro estão historicamente baixas! Será só uma questão de confiança dos mercados?

Esta crise económica mundial teve, como sabemos, origem nos EUA em 2006/2008 com a bolha imobiliária ou subprime, no entanto o centro deste "furacão" foi afastado para a UE que está ainda a sofrer as maiores consequências. Não acredito em teorias da conspiração mas é bem patente a influência dos EUA na ordem mundial.

publicado por José Estrela às 12:55

Mas se o livro não é dele ?

livro- socrates.jpg

 

publicado por Luis Moreira às 00:58

27
Mar 15

défice que conta é 3,4% em 2014 o que é uma boa ajuda para se atingir os 2,7% em 2015. A ministra hoje explicou como se chega lá, mas oposição e comunicação social não querem saber.

Cavaco veio hoje lamentar que a oposição tenha mostrado "incómodo" por apontar para 2% no crescimento do PIB para 2015. É realmente lamentável que as boas notícias para o país sejam recebidas com azedume. E todas as instituições internacionais apontam para um crescimento nos próximos anos à roda dos 2%.

"...o défice orçamental de 2014 fixou-se em 3,4% do PIB. Este é o verdadeiro ponto de partida para o exercício de 2015, e é melhor do que o valor previsto no Orçamento do Estado para 2015”, disse Maria Luís Albuquerque na sua intervenção inicial.

Em 2015 vamos sair do grupo "défice excessivo". É mais uma meta ultrapassada. O azedume não é receita nem despesa.

publicado por Luis Moreira às 21:15

Um bilhete para Lisboa numa companhia "low cost" fica mais barato que um bilhete na camioneta numa das ilhas dos Açores. As ilhas terão por ano mais 500 000 turistas. O impacto na economia será enorme.

Primeiro tivemos o monopólio da TAP que terminou com a operação da SATA. Décadas para resolver esta questão contribuindo para o isolamento do arquipélago. Mais uma década para a liberalização das rotas abrindo-as às "low cost".

O problema é sempre o mesmo. Tentar a todo o custo proteger os monopólios públicos e privados, limitar a concorrência. Nos transportes, na Educação, na Saúde.

As reservas nos hoteis crescem a um ritmo de 20%. Com a liberalização dos voos, "é mais barato ir agora aos Açores numa semana do que era antes ir um dia só". 

A abertura da base é um investimento de 150 milhões de euros, em dois aviões que foram alocados ao Porto, e criará 80 empregos e 12 rotas no aeroporto. 

 

publicado por Luis Moreira às 12:02

26
Mar 15

Deixem-se de merdas. Com o que se viu e ouviu na comissão de inquérito ao BES ficou mais que demonstrado que a culpa é da ganância de quem administrava e que também eram os principais accionistas. E é claro que só funciona assim quem sabe ou está convencido que sabe, que nada lhe acontecerá. Que as instituições de controlo e de supervisão não sabem nada porque nada fazem para saber. Sabem o que lhes metem pelos olhos dentro.

Podem dar a volta que quiserem à legislação ( e devem fazê-lo, melhorando) mas haverá sempre quem encontre buracos na lei e distracções em quem está obrigado em fazer cumprir.

Se os tribunais lhes forem às contas off shores e on shores, ao património que há muito está em nome de familiares, na próxima vez terão mais cuidado e menos ganância. E se fizeram desaparecer o dinheiro e o património, prendam-nos. É a única linguagem que conhecem tudo o resto são tremoços.

Que a administração pública anda muito atrás de todos estes esquemas só não sabe quem não quer. O estado é eficaz em que área? Sobra assim tanta surpresa por tantas instituições públicas durante tantos anos não terem visto nada?

A natureza humana explica isto tudo. Não me venham com o sistema e com o "homem novo". Crime e castigo.

publicado por Luis Moreira às 21:59

Todas as instituições apontam para um crescimento sólido da economia para 2015/2016/2017. Três anos com um crescimento à volta dos 2% é coisa nunca vista em Portugal. Mas para mim a surpresa mais positiva é a previsão do  crescimento do consumo das famílias induzido por um  forte crescimento do emprego.

"O consumo privado vai continuar a beneficiar da baixa taxa de inflação, crescimento sólido do emprego e condições financeiras mais favoráveis, enquanto o euro mais fraco deverá impulsionar as exportações"

A confirmarem-se estas previsões, Portugal crescerá acima da Zona Euro nos dois anos, já que o Citi antecipa que o PIB de Portugal vai crescer 1,9% este ano e 2,1% em 2016. O Banco de Portugal elevou ontem a estimativa para o crescimento do PIB de Portugal este ano, para 1,7%.

O Citi estima que o "rácio da dívida pública deverá começar a recuar em 2015 (depois de atingir um pico de 130% em 2014), ainda que o défice orçamental vai provavelmente ficar acima da meta de 2,7% do PIB".

 

publicado por Luis Moreira às 15:29

Afinal a chamada "Lista VIP " não tinha mais que quatro nomes. Convínhamos que para ser VIP é pouco  e para ser um procedimento instalado e habitual não representa nada. É um teste a um procedimento que não chegou a ser aprovado.

É o próprio sindicalista, porta voz da indignação, que revela . Nem órgãos da soberania ( a não ser Cavaco Silva, pois o órgão presidencial é unipessoal) nem pessoal da "pesada". Até nas listas VIP somos pobres.

O barulho que se faz à volta deste assunto é quase patético no que tem de desespero, quando se sabe que há 140 funcionários que têm um processo às costas por andarem a espiar o registo pessoal de certas pessoas.

É caso para dizer que 140 funcionários relapsos valem bem uma "Lista VIP"...

Apesar de o presidente do STI garantir que tem informações que associam o nome de Núncio a este procedimento, que estaria ainda numa versão experimental, nenhum processo disciplinar ou de averiguações a funcionários que consultaram dados indevidamente tem origem num alerta originado pelo nome do secretário de Estado.

publicado por Luis Moreira às 10:00
tags:

A primeira "caixa preta" encontrada e que regista as conversas dos pilotos entre si e entre estes e as torres de controlo em terra, indicia que um dos pilotos estava fora do cockpits e que insistentemente tentou entrar.

Naqueles oito minutos finais, ou alguém conseguiu entrar no cockpits quando um dos pilotos saiu e obrigou ao procedimento fatal ou o piloto que ficou aos comandos se suicidou.

Segundo um dos investigadores é audível no registo as tentativas do piloto para voltar aos comandos do avião, primeiro de uma forma normal e depois cada vez mais em desespero, tentando mesmo arrombar a porta.

São cada vez mais frequentes os aviões que caiem sem explicação. Ou então a explicação já anda há muito entre nós.

 

publicado por Luis Moreira às 00:49

Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9



29
30
31


pesquisar
 
Contador